aroma beleza

#vamosacenderincenso

janeiro 13, 2017o¤° SORRISO °¤o


Olá pessoal! O ano já começou e só agora consegui parar para escrever alguma coisa, pode? É o calor. Fazer o que, né? To me sentindo a Bruxa Má do Oeste, do Mágico de Oz, derretendo. Aff! Enfim... espero que todos vocês tenham entrado com o pé direito em 2017 e que o pensamento positivo e a esperança nunca os abandone! 



Mas, vamos ao assunto do texto: Incenso

De uns tempos para cá, eu me “afeiçoei” ao incenso. É isso mesmo. Sabe aquela história de criar uma atmosfera com aromas que abrem caminhos, atraem energia positiva, combatem energia negativa, afastam inveja ou, simplesmente, relaxam o corpo e a alma, entre outros tipos de benefícios? Pois é. Minha vibe agora é acender uns incensos durante a semana e... ficar em sintonia com o mundo e comigo mesma. Nunca tinha me ligado nisso. E, estou gostando. 

Aromas que abrem caminhos 


Princípio da Aurora do Homem 

Acho que o incenso faz parte da Humanidade desde sua aurora. Civilizações antigas, inclusive do Período Neolítico (ou Período da Pedra Polida), já usavam plantas aromáticas na Medicina e na Culinária. Essas ervas que, também, eram atiradas ao fogo para exalar seu perfume e purificar o ambiente e o corpo, criavam uma condição excelente para rituais religiosos e, até mesmo, mágicos

As ervas eram atiradas ao fogo para rituais religiosos e mágicos 


Por vários anos, as ervas aromáticas continuaram sendo utilizadas para “limpar” e perfumar o ambiente, afastando maus espíritos e insetos causadores de doenças. Também eram usadas para criar uma atmosfera ideal para a meditação e para a contemplação das divindades, gerando uma harmonia no local. Essas ervas quando queimadas, eram empregadas como instrumento para alcançar um estado tanto emocional quanto espiritual ideais para a realização de cerimônias religiosas cristãs, pagãs, budistas, hindus e tantas outras. Com o tempo, a técnica foi aperfeiçoada e os incensos foram adquirindo novos formatos. 

Incensos em formato de vareta 

Incensos em formato de cone 

Incensos em formato de bola ou natural 


Que Palavra é Essa, Incenso? 

A palavra Incenso tem sua origem no latim “incendere” que significa queimar ou “incensum” que quer dizer aquilo que queima

Incenso designa uma substância com resina aromática que desde a antiguidade vem sendo empregada como perfume e queimada sobre brasas para aromatizar os ambientes, afastar os insetos e realizar rituais místicos. 

Vários incensos de vareta perfumando o ambiente 

A fumaça do incenso carrega os pedidos e as orações das pessoas 


Queimar incenso significa um ato de transformação da matéria (as ervas) em espírito (o aroma). E devido ao incenso estar ligado ao elemento Ar, através da fumaça, sua principal função é abrir as portas da nossa percepção. Energias, pensamentos e informações espirituais vagam pelo ar até chegar ao seu destino certo, conectando o finito ao infinito; o mortal ao imortal; o humano ao divino. 

Aromaterapia na Antiguidade 

Ao queimar cascas, sementes, flores, raízes, caules, folhas, madeiras ou resinas de determinadas plantas perfumadas, a fumaça obtida é capaz de alterar não só a carga energética de um local, como também de modificar o humor de uma pessoa. 

Queimando incenso, modificamos a carga energética de uma pessoa 


As civilizações antigas já conheciam o que hoje nós chamamos de Aromaterapia (tratamento auxiliar baseado no uso de aromas e óleos de plantas), e que determinadas fragrâncias podem despertar ou estimular áreas do cérebro, alterando a percepção e influenciando o organismo de forma positiva ou, até mesmo, negativa. 

Ou seja, os aromas suaves liberados pelo incenso têm o poder de estimular, renovar energias, limpar a atmosfera, relaxar o corpo e preparar todos os sentidos para a meditação. O aroma utilizado depende do objetivo a ser alcançado: estimulante, revigorante, purificante ou relaxante. É um grande aliado para o seu momento de aconchego, saúde, socialização, sexo e prazer. 

Aromas que se dissipam e tornam-se grandes aliados nos momentos do sexo e do prazer 


O Perfume dos Deuses 

Sua origem é frequentemente atribuída ao Egito Antigo. Os egípcios usavam incensos como um presente aos Deuses em rituais de adoração religiosa. Kyphi é o mais famoso incenso egípcio por possuir a fragrância mais rica, complexa e influente da História (UAU!), e, segundo consta, era produzido dentro de um templo, por meio de uma cerimônia altamente secreta. Tá pensando o que?!!? 

Pinturas egípcias do incenso sendo utilizado no Antigo Egito 

O incenso usado no Antigo Egito em culto à Deusa Bastet (a Deusa Gata) 


De acordo com Plutarco, ilustre filósofo e historiador da Grécia Antiga que viveu entre 46 d.C. e 120 d.C., absorver os aromas do Kyphi era como “ouvir a música mais bela”, ele também registrou que esse incenso era composto por 16 ingredientes: mel, vinho, passas, junco aromático, resina mástique, mirra, olíbano, seseli, calamus, betume, labaça, baga de zimbro, aspalathus, cyperus, cardamomo e raiz de íris. 

Há vários outros ingredientes que também poderiam ser adicionados ao Kyphi, como canela, mimosa, hena, menta, cássia, nardo, ládano, aroeira, resina de benjoim, bdélio (uma falsa mirra), açafrão, terebintina, azedinha, etc. Depois dos ingredientes serem misturados em sua quantidade e ordem certas, o Kyphi era enrolado em formato de bola e colocado na brasa para liberar todo seu poder aromático. Infelizmente a identidade botânica de muitos elementos é incerta e segue obscura, por isso, mesmo nos dias de hoje, sua composição verdadeira e sua elaboração continuam um mistério

Alguns materiais para a elaboração do Kyphi 

As bolas de Kyphi 

Kyphi em sua versão mais tradicional às vendas nas lojas 


Plutarco ainda observou que o Kyphi é feito de coisas que se deleitam mais na noite e exibe suas virtudes à noite. Suas substâncias aromáticas adormecem, aliviam ansiedades e iluminam sonhos”. 

Bela análise do filósofo grego, pois inscrições encontradas no Templo de Heliópolis, conhecida como a Cidade do Sol e destinada ao culto do Deus Ra (Deus Sol) e centro das cultura e religião egípcias há mais de 4000 anos, corroboram que os egípcios queimavam ritualisticamente Olíbano ao amanhecer, Mirra ao meio-dia e Kyphi ao anoitecer. 

Olíbano 

Mirra 

Kyphi 


O Sagrado 

O incenso é sagrado. Sua missão principal é levar as preces aos Deuses, independentemente da religião. Como o incenso é a transformação da matéria em espírito, daí a necessidade de se ter uma intenção associada ao queimar o incenso. 

O Kyphi era um presente para os Deuses, tanto que o item aparece nos textos das pirâmides e é listado entre os bens que o faraó deveria levar na vida após a morte. 

Queimando Kyphi 


Olíbano e Mirra são duas resinas aromáticas famosas por serem dois dos três presentes dados a Jesus pelos Reis Magos. Cada presente era envolto em significado: o ouro representava a perfeição divina e sua realeza; já o olíbano era símbolo da pureza e de seu sacerdócio e a mirra caracterizava a unção e o alívio para o sofrimento que Jesus encontraria em sua vida. 

Franquincenso (também conhecido como Olíbano) e Mirra 


Cuidados 

1- Ao acender um incenso, deixe a chama apagar sozinha. A seguir, deposite-a no incensário ou “passeie” pela casa para perfumar todos os ambientes. 
2- Adquira um suporte (queimador de incenso) adequado para garantir uma queima segura. 
3- Acenda-o em ambientes arejados, sem correntes de ar e longe de objetos inflamáveis, como cortinas, papéis e coisas do gênero. 
4- O local ideal para acendê-lo é onde o ar possa circular, fazendo com que os odores se dissipem pelo ambiente. 
5- A fumaça do incenso deve ser clara. 
6- Não acenda um incenso perto de pessoas com problemas respiratórios. 
7- Fuja do incenso que em sua composição constar o benzeno, formol ou chumbo, pois poderá fazer mal à saúde. 
8- Nunca deixe o incenso queimar sem vigilância. 
9- Observe na embalagem o aroma e a qual propósito ele se destina: calmante, revigorante, limpante, energizante, estimulante, curativo, antisséptico ou depurador. 
10- Mentalize uma oração, pedido ou intenção. 
11- Após a queima, recolha as cinzas nas palmas das mãos e assopre-as ao vento. 

Incenso queimando com segurança 

Vários tipos de incensários para varetas: Dragão (também para cone), Buda, Peixe e Barco Viking 

Queimador de incenso 

Sempre que acender um incenso faça orações ou pedidos ou, pelo menos, tenha pensamentos positivos 


Riscando o Fósforo 

Perfume sagrado, fragrância medicinal, propriedades relaxantes, poderes místicos, caminhos a explorar... São vários os objetivos. Apenas sinta o aroma do incenso e medite, desperte o seu sentido de beleza e eleve o espírito, faça sua intenção com fé e deixe-se levar pelos pensamentos positivos. Aproveite seu poder e relaxe! 

Relaxe e mentalize 


E já que hoje é a primeira Sexta-Feira 13 de 2017, a outra só em outubro, nada melhor do que queimar um ou mais incensos para elevar o astral e purificar sua casa. Xô, perereca! 

Quer saber mais sobre Sexta-Feira 13? É só clicar aqui, aqui ou aqui. Hahahaha! 

Deixe as boas vibrações entrarem! Bom dia e Boa sorte para todos! 




Beijos mil! :-) 
Criss 


E não se esqueça de Comentar e Seguir o Blog. OK? 



Você Também Vai Curtir

0 brincadeiras

»☻ Valeu por seu Comentário ☻«

“Suponho que me entender não é uma questão de inteligência e sim de sentir, de entrar em contato... ou toca ou não toca.”
Clarice Lispector


Posts Populares

Instagram

Formulário de contato